sábado, 25 de setembro de 2010

COMO ANTIGAMENTE...


Me lembro bem dos comentários saudosistas da minha mãe em relação a minha infância e neles por vezes estava eu em cima de um banquinho de madeira teimando em lavar os pratos...
Era assim, minha mãe ainda trabalhava somente nas atividades domésticas e tinha tempo de me deixar ter acesso à pia de pratos e o melhor, tinha tempo para testemunhar tudo.
Vivi um pouco tudo isto com Mayana, a minha filha mais velha, apesar de chegar a fase adulta tendo descoberto que odeio lavar pratos! Ainda assim, também tive o privilégio de testemunhar essa presença deliciosa na barra da minha saia, nos momentos em que estive na cozinha. Não tive a mesma sorte com Nathália, a mamãe de Maria Eduarda... estive muito ausente, lutando por dias melhores.
Sabe, o que a gente descobre depois de algum tempo é o que os "dias melhores" não estão no futuro... são aqueles bons que vivemos ao lado de quem amamos.
A vida moderna tirou isso da gente e nos fez acreditar que era vagabundagem estar disponível para esperar o filhos brincarem de gente grande e os olhar com ternura.
Claro que eu não ia perder este momento com Maria, ela pediu eu corri para pegar a cadeira e deixar que lavasse os pratos na pia. Este foi o meu melhor dia e é por eles que luto agora.

Tereza Cristina

E lá vamos nós em 2018!

Tenho demorado cada vez mais para voltar aqui no blog e escrever sobre Maria, nossa vida e nossos sonhos... Muita coisa aconteceu de bom e ...